whatsapp Central de reservas: (+55 92) 99261 5035
pt-br Eng
Descubra a amazônia

A Cheia dos rios no Amazonas

26 Mai, 2017

Aqui desse lado do mundo, desse grande pedaço do Amazonas, os rios não possuem um volume de água uniforme durante o ano, há períodos de variações. As últimas aconteceram de acordo com a quantidade de chuvas ou derretimento de geleiras. E, você que não sabia, mas o Amazonas é o segundo rio mais extenso do planeta, é mole ou quer mais? Apresenta 6,4 mil quilômetros, sendo menor apenas que o rio Nilo (7.400 quilômetros).
Apresentando a maior vazão de água. A nascente do rio Amazonas está localizada no lago Lauri, nos Andes do Peru, fazendo parte também, da Colômbia e Brasil. A hidrografia da nossa Amazônia é complexa e interligada, tudo o que acontece nas bacias dos seus principais rios reflete nos demais. Ao entrar no território brasileiro, pelo município amazonense de Tabatinga, é chamado de Solimões, somente após a junção com o rio Negro é que passa a ser chamado de Amazonas.
No muro do Porto de Manaus (Roadway) encontra-se um painel que registra todas as cheias que aconteceram na cidade desde o ano de 1902, que inclusive foi feito por ingleses, que fizeram de forma flutuante para que acompanhasse a sazonalidade do rio Negro, com isso, os navios poderiam atracar em períodos de águas altas e baixas.
Foi colocado um regime hidrológico no qual o rio Negro atinge um nível máximo no mês de junho (cheia) e um nível mínimo em outubro (vazante). Nos últimos 10 anos já foi observado que a ocorrência de grandes cheias em sequência, com dois eventos recordes (2009 e 2012), alternada por apenas um evento de vazante pronunciada (2010), o que aponta para o início do século XXI uma Amazônia mais úmida diante das mudanças no clima da Terra.
O regime de um rio se constitui na forma como este é alimentado, ou seja, a origem das águas que o abastecem. Existem 3 tipos de regime: pluvial, que são as águas das chuvas, nival ou térmico, proveniente do derretimento das geleiras, e misto. O rio Amazonas, por exemplo, apresenta regime misto, sendo suas águas oriundas do derretimento primaveril dos Alpes Andinos e dos altos índices pluviométricos, que são as chuvas caídas na bacia. Estes fatores são responsáveis pela cheia na região.
Em sua bacia hidrográfica estão também os países da Bolívia, Equador, Venezuela e Guiana.
Revisão: Samya Souza
instagram whatsapp youtube facebook
WhatsApp WhatsApp